Resenha: Fundação de Isaac Asimov

10 março 2014

Fundação é o primeiro volume da Trilogia da Fundação (Fundação, Fundação e Império e Segunda Fundação) de Isaac Asimov. Foram publicados originalmente na década de 1950 e posteriormente Asimov escreveu livros que estenderam a trilogia, mais 4 continuações foram publicadas, Limites da Fundação, Fundação e Terra, Prelúdio a Fundação e Origens da Fundação. 


Fundação
Isaac Asimov
239 páginas 
Editora Aleph
2009
Este exemplar foi cedido pela editora como cortesia para a resenha


 Fundação conta a história de um futuro em que a humanidade já se disseminou pelo universo, o que ocasionou a criação do Império Galáctico. É ele que governa todos os planetas habitados, a capital do Império, Trantor é onde se localiza toda a principal tecnologia e ciência e mais importante um mundo coberto por uma cidade com uma função importante, a administração do Império e é para lá que logo no início do livro Gaal Dornick está viajando. 

Gaal foi escolhido para trabalhar com o psico-historiador Hari Seldon. Psico-história é uma ciência que pode prever o futuro através de cálculos a partir de eventos de multidões , os quais determinam grandes acontecimentos que ocorrerão num futuro próximo ou distante, não é possível prever um movimento único, mas quando ele é repetido em massa, pode ser previsível. Hari através de sua pesquisa detecta que o Império está em decadência e que muito em breve cairá em guerras e conflitos internos, uma idade das trevas, causando um retrocesso à toda a história da galáxia. 

Por isso, Hari diz ao imperador que é essencial a criação de um local onde toda a história e ciência da Galáxia não se perderá, será necessário elaborar a Enciclopédia Galáctica, para que após a decadência do Império ocorrer, todas as conquistadas humanas não se perderá pois, estarão compiladas na enciclopédia. O imperador os encaminha (os enciclopedistas) para um planeta na borda da Galáxia e do Império, Terminus passa a ser habitado e lá é construída a sociedade dos enciclopedistas, ou da "Fundação Número Um da Enciclopédia". 

A história do livro divide-se em 5 partes, quase como histórias diferentes unidas por um denominador comum: os problemas e conflitos que vão surgindo ao longo que a história avança e as previsões de Hari Seldon vão se confirmando. 


Isaac Asimov
Asimov não foca o livro em descrições de personagens nem mesmo no ambiente no qual cria sua história. Ela é toda envolta pelo avanço da história e os acontecimentos que vão ocorrendo ao longo de anos e mais anos após a criação da Fundação e das previsões matemáticas de Seldon. 

Novos personagens entram na história, a cada novo capítulo e as vezes em questão de páginas, por isso é um livro bastante corrido, uma história dinâmica cheia de reviravoltas e novos personagens. Não é uma jornada de indivíduos, mas da sequência histórica de uma população, que busca realizar um projeto ao longo de anos e décadas, através de muitos personagens diferentes. 

Tinha lido antes que neste livro, Asimov utilizava diversas referências para construir a Fundação, ao longo da história é fácil perceber isso, como ele correlacionou eventos históricos com fatos do livro. E por isso, fui ficando mais e mais fascinada com o "universo" que ele criou. Citações de como a religião pode manipular, como líderes inteligentes e perspicazes podem mudar o curso de alguns eventos, a ascensão e queda de grandes impérios, que se estabilizaram em suas glórias e isso lhe foi igualmente sua ruína, perpassa todo o livro. 

É uma ficção científica, talvez uma das mais importantes do século XX, mas é igualmente uma história profundamente política, um olhar mais atento percebe tons de intensa realidade neste Império Galáctico. Eu fui sem expectativas, apesar de ter muitas recomendações positivas sobre o livro, justamente porque não sou uma leitora voraz de ficção científica, não sabia exatamente o que esperar, mas confesso que a experiência foi extremamente positiva, precisamente por toda essa carga de referências e uma história que apesar de mudar em décadas e personagens, capítulo a capítulo, se conecta de forma magistral, uma teia perfeita que se entrelaça e deixa seu leitor absolutamente curioso pelo que há de vir. 

E que venha o volume 2, para sabermos como serão resolvidos os conflitos ao longo de mais décadas e novos personagens. 

Até mais !

4 comentários:

  1. Adorei, Mel!
    Eu também não costumo ler ficção científica, mas morro de curiosidade para ler A Fundação. Você me animou!
    Aliás, este é o mês do Asimov lá no ConversaCult. Se quiser aparecer no último domingo para conversar sobre o autor, está convidada, viu?
    bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom Michelle !! Espero que leia sim e me conte se gostou depois !!
      bjos

      Excluir
  2. Eu tenho diversos livros de Isaac Asimov em meu tablet e tenho vontade de lê-los mas sempre postergo a leitura deles em favor de outros livros, porém sua publicação me deu mais vontade de entrar nesse maravilhoso mundo da ficção científica de Asimov!

    ResponderExcluir
  3. Geeente distopia *O*
    Com ficção cientifica no meio, ou ficção cientifica com um toque de distopia... mas não importa! É meu tipo de livro e eu nem sabia que ele existia! Fiquei até chateada hahaha
    Super obrigada pela dica *O*
    Beijinhos
    http://www.interacaoliteraria.com/

    ResponderExcluir

Olá ! Obrigada pelo comentário, ele será respondido aqui mesmo, ok!?
Obrigada pela visita e até mais!

 
FREE BLOGGER TEMPLATE BY DESIGNER BLOGS